terça-feira, 1 de agosto de 2017

(Des)compassos



As linhas se entrecortaram aqui dentro
Desfazem os nós antigos
Os diversos caminhos já trilhados
Crio espinhos afiados 
Que crescem na carne
E na confusão dos sentidos 
Espalham sentimentos 
Sujando de rubro cada pedaço
Cada destroço jogado ao chão
Todas as minhas vias sumiram
As minhas certezas
As âncoras que me sustentavam, enfim
E sobra a angústia
A fina e pesada angústia
Com seu jeito desatino de me parar
De me fazer correr
Com esses sentidos ainda confusos
Os pedaços destroçados,
Distribuídos em cada espaço 
A cada passo dado
E me faz ser mais inteira
Menos estanque
Arrancando as raízes
Escorando-se nos (des)compassos.

G.MOON

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PERDÃO

Eu deveria pedir perdão A mim mesma. Pelas histórias inventadas Os sentimentos perdidos E as palavras mal explicadas Eu deveria p...