sábado, 8 de julho de 2017

Felino



Como um felino à espreita
Ela se agacha e espera
O seu bote pronto
As garras afiadas
Arrepia-se
E se revela adentro ... 
Nas noites de lua cheia
Onde ela se vê completa
Cheia de sonhos a vista
Às vezes parece bicho amuado
Quieto e reservado
Nada lhe interessa
Nada a convence
Mas ela pode ser muito mais
Do que qualquer um pensa
Seus olhos brilham em dourado
Seu corpo macio pode procurar um colo
Mas não por muito tempo...
Não em demasia

Pois ela se cansa
e seu corpo, sozinho
carrega sua própria alegria.

G.MOON

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chamam meu nome?

Entendo aquele olhar Chamam meu nome lá fora? Entendo aquele toque Chamam meu nome lá fora? Não há futuro para mim aqui dentro Não...