quarta-feira, 7 de junho de 2017

A flor e sua juventude



Em um canteiro qualquer
Havia uma flor
Exalando seu perfume graciosamente
Em júbilo da mocidade
Tão vermelha quanto a areia que a assenta
Tão solitária quanto os beija-flores que passavam por ela

Mas ela era uma flor diferente das outras
Esse seu cheiro
Seu encanto de juventude
Nada lhe trazia:
Nem um olhar
Nem uma doce palavra sequer

Passam-se as estações
O frescor do Verão
A frieza tímida do Outono
A glória e as cores da Primavera
E sempre parece um intenso Inverno para ela

Onde fica acolhida
Fechada
Inebriada em seu próprio cheiro
Encostada em seu solitário canteiro 

G.MOON

Um comentário:

  1. A pétala pluripélvica penetra a pura prantotérmica ptialina.
    GK

    ResponderExcluir

Just another day...

Oh, eu aceitaria umas duas ou três Ou outras maneiras de viver Mas hoje eu não vou ser tão dura comigo mesma Eu vou caminhar so...