segunda-feira, 29 de maio de 2017

meio a meio



Nunca tive cara de nova,
muito menos de mais velha,
sempre um meio a meio...
Ou uma normalidade insossa.
Minhas palavras nunca foram tão maduras,
nem muito frescas,
eu sempre estive a deriva,
ora em mares mais rasos,
ora um pouco mais fundo...
Procurando os sentidos que se afundaram.
Nunca tive muitos amigos,
nem poucos amigos,
sempre um ou dois, talvez três
que permanecerão
que permanecem ou,
simplesmente
se perdem em seus próprios caminhos...
Eu nunca tive muito amor,
nem poucos amores,
meu coração sempre encontrou
um equilíbrio que nunca existiu,
transitando entre
a mania,
a melancolia..
Ou o egoísmo distante.
As paixões..
Nem tamanhas,
nem pequenas.
Uma dose sem expressão,
 um ardor que pouco fez efeito.
O calor que não se afogueou:
Apagou-se antes que eu soubesse que existia.

Eu sempre fui um para lá e um pouco de cá.
Esse meio a meio vem incomodando,
vem se preenchendo de um excesso invisível,
que pode se tornar um nada gritante.

G.MOON

sábado, 27 de maio de 2017

Opacidade




Sempre estive entre as luzes,
Procurando por mistérios
E contendas que nunca foram minhas
Os corredores,
Antes iluminados por raios de luzes brancas
Hoje sobram apenas as frestas
Os mínimos filetes
Que me permitem saber das tuas passagens
Sem muita nitidez
Em pontos turvos, incertos
E muito afinco... Angústia.
Nunca pensei que um dia
Pudesse dizer:
Não há nada mais aqui
Não há mais passo dado, nem expectativa
Amor ou sequer ódio
Há apenas o opaco
O indiferente
O sem vigor
O meu caminho é difícil demais?
A minha estrada parece tão cheia de obstáculos, assim?
Parece, para você?
Eu juro tentar, juro que tentei te ajudar
Mas teu ardor nunca se integrou a mim
Os sorrisos e a doçura (fingida, talvez?) nunca foram para mim
Estarão sempre do lado de lá
Onde não estou
E nunca estarei
Trato de andar pelos mesmos corredores
Sozinha
Estranhando-te em demasia
Mas eu juro que quando a caminhada terminar
Essa tua memória sempre vai permanecer

Por mais que eu lute para me libertar


G.MOON

Eu



Certos momentos eu me pego pensando e quando percebo, algo desesperador.. Angustiante, lampeja em minha consciência: É somente eu, eu e eu. Sou eu quem me construo, sou eu quem me conduzo, somente eu quem me entende, de verdade. Os outros são os outros, perdidos em suas próprias couraças, guardados a sete chaves (na maneira mais clichê de se dizer) em seus próprios segredos.

Nada mais há de acontecer nesse mundo, senão encontros de fortalezas... Encontros de segredos. E não há nada mais bonito do que isto.

Se você me permite passar: Está tudo bem. Se não, teu espaço é teu culto e tua morada mais bonita: Tudo bem, também.

-G.MOON

quinta-feira, 25 de maio de 2017

prosa do dia 25/05/2017



Eu percebi que nestas ultimas semanas eu tenho produzindo menos poesias e me concentrado mais em minhas fics.. Infelizmente, acabei me afastando um pouco do blog por conta de uma problema familiar e, agora, estou canalizando energias para produzir minhas historias.. Porém, acho que há algo mais que tem me deixado um pouco longe daqui: O fato de que eu tenho refletido os meus pensamentos, os meus sentimentos e pouco estou conseguindo imprimir em papel. Tudo fica perambulando em minha cabeça e quando pego o papel as palavras são insossas e sem muita vida. 
Esses tempos eu tenho descoberto algumas coisas... Umas ruins outras medianas... Amizades que na verdade nunca foram amizades; uma nova forma de lidar com algumas situações... O controle da raiva, outros manejos... Teorias que têm feito sentido em muita coisa.
Uma felicidade estranha aqui dentro, que tem se alimentado destas descobertas também esquisitas.
Pode ser que eu esteja tão inundada, de tantas coisas diferentes, que fique difícil de tecer as palavras... As teias se desfazem, descolorem, talvez ganham o real? Não sei...
Continuo estudando (apesar de todos os problemas que surgem naquela universidade), inventando um futuro que ninguém consegue prever, mas minhas válvulas de escape sempre me ajudam a enfrentar o real. 
Não gosto de passar muito tempo longe daqui, mas por enquanto é isto... Talvez estes afetos ganhem algum sentindo... Algum momento, talvez. Moon está descansando esses dias.


G.MOON

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Introdução ao futuro



Quando nada mais estiver em tuas mãos
Olhe para trás
Nem que seja um instante
Nem que o brilho amarelado das folhas seja angustiante
Veja os carinhos negados
As palavras mal ditas
Os silêncios de muitos afetos 


Olhe para trás
Mas mantenha os olhos nus
Secos de lágrimas
Firmes por tua história
Desnudos de qualquer valor
Sem contar qualquer pudor


Quando olhares para frente
Terás a imagem que não pode ser repetida,
Jamais.

- G.MOON

domingo, 14 de maio de 2017

Desorganização




Os amores rodopiam por dentro
Abrem os braços e me dizem o quanto querem se expandir
Aguçam os ouvidos: os sussurros perturbam de dentro para fora
Os sentimentos continuam a bagunçar a unidade da vida
Quando todos estão aqui
Mal veem o fogo que ascende nos olhos
Quando todos se vão
Este fogo brilha em ciano aqui dentro
De nada me adianta perguntar onde estão os meus destinos
Eu apenas deixo a desorganização investir
Os amores rodopiam, bagunçam
Despenam
E eu estou entrando nesta dança

Deixando o ciano tomar conta de cada dor em meu corpo

- G. MOON

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Vinte



Então... Chegou o doze de maio.
Dessa vez não pensei em uma poesia. Mas palavras soltas bastam.
Vinte anos não parecem muita coisa... Mas em mim já ganhou uma carga enorme. Hoje somente será mais um dia normal em minha vida. Talvez eu receba um telefonema ou outro.. Mas nada lá fora muda. Nada mesmo. 
Aqui dentro.. Talvez. Não tão rápido quanto penso. Nem tão significativo.. Mas muda aos pouquinhos.
E talvez eu nem perceba muito bem: Os olhos outros. As ideias outras.. As pessoas... Outras.
Sinto que algumas coisas permanecem aqui, talvez sempre permaneçam.. Mas os sentidos mudam de tal forma que até eu mesma me surpreendo e é importante me manter assim.

Atenta, pensativa... Refletindo e ressignificando tudo sobre os outros e, principalmente, sobre eu mesma.




Então, parabéns para mim. Parabéns para você, Moon, que me ajuda a mudar.

Ser um novo ser todos os dias da minha vida.

-G.MOON

segunda-feira, 8 de maio de 2017

(In)satisfação



Dizem que sempre buscamos nos completar
 Somos seres de faltas
 Dos quereres
 Das incompletudes
 Das buscas


 Nessa minha (breve) mas cansativa caminhada
 Cada dia mais me parece que
 Não há objeto
 Nem Ser capaz de me levar à plenitude


 Sou feita do não ter
 Da representação inacabada
 Do discurso que nunca se completa


 Todas as minhas escolhas levam a novos quereres
 E esta angustia perdura...
 Insiste
 Persiste
 Até o pêndulo da vida parar
 E cair a plenitude do ser.


- G.MOON 

terça-feira, 2 de maio de 2017

E os ventos de maio se anunciam...



Então... Chegou o "meu mês" (Faz sentido?).

Daqui a 10 dias a crise dos 20 se acentuará, ela já bate na minha porta. Enfim, perguntaram-me esses dias... Está preparada para os vinte anos
Bom, eu acho uma pergunta estranha, mas ao mesmo tempo plausível de se fazer. 
Eu diria, há alguns anos atrás, que é apenas mais um ano que chega. Mais um pouco de idade. Porém, desde os dezoito anos, perspectivas diferentes invadiram o meu doze de maio e cada vez mais tem se tornado uma experiência mais intrigante... mais interessante. O que é ser adulto? Como será meu futuro? O que se faz daqui para frente? Como agir diante de tantas novas situações que se colocam à minha frente?
Pode parecer bobo se fazer tantas perguntas... Mas os questionamentos chegam aos montes e, realmente, não estou mais tão disposta a respondê-los.  Esses dias eu estou... diria que... "Seguindo o fluxo". Cada dia uma situação nova, cada dia algo novo para se aprender. Então, estou seguindo, me colocando à frente, ainda com estes questionamentos em mente, mas sem me alongar nestas reflexões. 

Elas algum dia serão respondidas? Não sei, talvez. Talvez as experiências me ajudem a responder... Mas eu sempre me angustiei demais por situações que fazem parte das nossas vidas... Coisas comuns, que passam (na verdade, ainda sou um pouco assim). Mas estou meditando o seguir... O caminhar, pensando, respondendo, agindo como posso. Até onde meus limites alcançam. 

- G.MOON

O estranho

Todas as noites Uma névoa de letras E palavras soltas Entre nós e caminhos Feitos e desfeitos Debatem entre si E nesta pe...