domingo, 10 de dezembro de 2017

PERDÃO






Eu deveria pedir perdão
A mim mesma.
Pelas histórias inventadas
Os sentimentos perdidos
E as palavras mal explicadas
Eu deveria pedir perdão a cada célula do meu ser
Por me massacrar com pequenos filetes de pensamentos
Pelos estranhos dias que deixei minha energia para os outros
Eu deveria pedir perdão…
Mas não sei se consigo perdoar
Os caminhos já estão tão longes
Os sentimentos apagados
Há um estranho vazio… um conturbado vazio
Que nega qualquer nova palavra.
Eu quero pedir perdão a mim mesma
Mas não sei se está atitude
Me salvará do meu próprio eu
.


gmoon










sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

O manto vermelho



O manto vermelho me aquece
Mesmo que eu mal passa tocá-lo
O manto vermelho traz ao meu corpo magro
O sopro da vida
Mesmo que este venha de longe
Das longínquas terras desconhecidas
Um vermelho escarlate…
Quente,
Mas que abranda o fogo em ciano que ascende
Em meu olhar
Não há mais palavra pra te dizer, querida
Há apenas o teu manto
e, com ele, posso manter-me são
O teu manto, o teu véu
O teu sorriso se encobre,
Divaga para os céus,

Não há nada mais teu que eu queira, apenas,
O divino, sagrado,
Mas também Profano e insensato,
Manto que me encerra.

GMOON

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

poesia e prosa para esvair




















O toque
O cheiro, a sensação
Os nervos que se estressam
Os sentimentos que sobem à minha cabeça
É sempre igual
Seja por conta daqueles olhares
O gesto e a voz
É sempre igual
Um sentimento contido
Meu suspirar torna-se cada vez mais fundo
Certa vez sonhei que estava a ponto de eclodir
E no sonho tudo parecia alívio
Tudo parecia tão sincero
Então eu acordei
Acordei e o sentimento real me toma
Mas não me doma, não se estende
Permanece aqui dentro, crescendo,
estendendo-se por todo o meu corpo.
Sabe aquele aperto sem explicação?
Um choro que vem e suprime,
vem e estoura,
espanta toda visão do que há de bom
são como nós, fortes e bem atados
aqui dentro
a mente estoura em fios que eu não possuo controle
tudo vem de fora,
alia-se ao que está aqui dentro
como se tivessem vida própria
energias próprias
saindo, esvaindo-se entre os meus dedos,
então medito,
medito o quanto dói,
respiro fundo,
mas o que adianta?
do que vem de dentro...
de nada pode-se fugir.
______________________________________________________

Eu tirei a foto desta linda flor hoje. Parecia mais um dia normal, naquela rotina vazia que estou inserida todos os dias. Mas agora à noite, surgiu um sentimento... um sentimento que eu procuro explicações e de nada adianta tanto pensar e me desgastar. Então, vem o choro... o choro que me dominou,  que não é apenas um instabilidade emocional, mas um desconforto que eu ainda não sei bem nomear, que surge quando me deparo com diversas situações da minha vida. eu não sei mais se estou me portando do modo correto... eu só sei que preciso ser forte, mas ainda não sei quanto... ou se aguento. sentia saudades de me sentar e escrever como tantas vezes antes. postei capítulos, dei uma revisada em minhas histórias, me senti melhor... mas a necessidade do sentimento continuava aqui, me afrontando, fazendo de tudo para que seja expelida [ jogada mesmo ]. e saiu ... não são meus versos mais queridos, mas de tudo que tenho vivido, pode resumir... bem, uma parte... uma parte desse sentimento sem nome. eu vejo as pessoas à minha volta e sinto que precisava falar tudo o que ronda a minha cabeça, mas... eu não vejo em seus olhos o que me acolheria. eu posso estar enganada [ muito ] , mas continuo me encolhendo, tentando usar a "persona" de que estou estável, mas basta um momento, uma fagulha para que eu me desorganize por inteira. dias atrás eu escrevi isto aqui e não tive tempo de postá-lo aqui: 
* se a vida algum dia puder ser vivida como se quer... chamem por mim. eu ouço vozes que não me cabem, canto.. de um jeito frouxo e insosso, em caminhos que nada em nada me ascendem... eu leio palavras que pouco me importam. O lar eu não vejo como lar.. assim como meu corpo, não o entendo como meu próprio corpo.. é apenas pele e osso. então, eu sento a beira do meu próprio abismo e choro, esperando a hora das estrelas... a hora da lua cantar nos céus, buscando guias e respostas... em minha santa tolice.*
cada hora, cada minuto, segundo, essas palavras se confirmam.. eu achei que estava indo para o caminho de me tornar mais rígida... decisiva.. mas estou oscilando novamente, me sentindo frágil e desprotegida... como uma criança perdida.

GMOON

domingo, 19 de novembro de 2017

estranho vermelho


















há um toque de intenso vermelho que consome a minha pele
o vermelho das tuas unhas
a cor rubra que pinta os teus lábios
as pequenas manchas que pintam o teu rosto
quando ouve estes estranhos versos
a sensação deste fogo que consome:
de dentro para fora
há um estranho vermelho que me tira do eixo
alucina-me os sentidos
a cor da carne - pele rubra, delicada
como a pétala de rosa que se desabrocha
bem na palma da minha mão
deixo este manto de vermelho tomar o meu corpo
socorram-me destes teus meigos olhos negros que se pintam
 deste estranho vermelho
o novo tom que desviou minhas linhas


GMOON

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

pequena prosa do dia 15/11/2017



O ano está acabando e eu simplesmente não sei mais o que dizer sobre tudo que tenho vivido até agora. 2017 é um ano de rocha. É um ano de peso, de choro e muita angústia. Eu sei que às vezes eu me concentro muito nos lados negativos das situações, mas dizer que esse ano não foi difícil para mim e, também, para minha família, é uma brincadeira de extremo mau gosto. Além de passar por situações que exigiram lado meu pouco elaborado, acabei por descobrir lados outros que talvez eu não quisesse nem sequer ter contato. É feio, asqueroso. Porém, de certa forma, traz alívio... Ainda não sei como explicar, mas também traz alívio. Eu tive e ainda tenho agora que ser forte, mais concentrada, focando naquilo que realmente importa. Sei que estou cheias de receios quanto ao meu futuro, mas eu mal conseguia pensar muito bem antes e, agora recapitulando tudo.... Eu entendo que algumas coisas tem que ser assim.Apesar de tudo que vivi esse ano, eu aprendi muito. Aprendi sobre as pessoas ao meu redor, sobre a vida (a morte), o mundo e, principalmente, sobre mim mesma. Mas é como dizem: o aprendizado sempre é difícil. O ano ainda não acabou. Faltam poucos dias e eu sei que ainda temos coisas pela frente... Não diria que estou preparada, mas devo continuar em mente que eu tenho de ser forte. Por mais que seja doído aqui dentro.

GMOON



domingo, 5 de novembro de 2017

a soma perdida


esses últimos dias eu tenho jurado a mim mesma ser forte. tenho procurado a soma de mim que nunca foi encontrada e eu precisava resgatar antes que fosse tarde demais . aquela soma de força, coragem, "pé-no-chão"; não preciso peitar todo o mundo... apenas ir fundo, com medo, mas simplesmente ir, buscando reter tudo que me faz crescer, mesmo que o choro venha tantas... tantas vezes.
é angustiante sair da zona de conforto.. .encarar a vida como ela realmente é.
sentindo suas dores, seus apertos, as lágrimas que não parecem ter fim.
ainda não encontrei esta soma perdida, mas continuo na busca, enfim...

GMOON

Recusa




Eu não posso mais te pedir desculpas, querida
Meus sorrisos foram os mais sinceros
Os abraços - meu porto mais seguro
Foram o bem maior que te entreguei
Não tenho nem sequer riquezas
Mas este carinho
Este olhar
       É para toda uma vida
Repeti teu nome em cada passo que dei
Falei de ti em  todas as vias
Escrevi e reescrevi cartas
Você sempre de mãos atadas
       "Ah.. não há muito o que viver."
Recusa-se o poema de um autor sem nome
De uma alma que se inundou de ti
E — de propósito — perdeu-se
de si.


GMOON

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

pessoas tóxicas

o que seria uma pessoa tóxica? 
Venho me perguntando isso todos os dias. Tóxico é aquilo que traz malefícios ao organismo.. Aquilo que devemos evitar, ficar longe pois as consequências de seu uso podem ser até fatais, a depender da potência daquilo que é considerado tóxico....
Dizem que pessoas tóxicas são aquelas que sugam as suas energias... dão opiniões que de nada te acrescentarão... (ou você simplesmente não pediu); aquelas que falam de tudo para te rebaixar; te olham de baixo para cima e riem às escondidas (ou em sua cara mesmo...)? . eu não sei muito bem o que é uma pessoa tóxica. Mas tenho pensado nisso todos os dias. Antes eu não prestava mais tanta atenção no comportamento das pessoas, hoje eu tento vê-las com os olhos, as mãos, os ouvidos.. e toda a minha mente. É um exercício cada vez mais difícil, mas fascinante de certo modo... porém, em alguns momentos, parece muito cansativo. É por isso... Talvez por isso, que eu esteja pensando em pessoas tóxicas. 
Então, eu tenho martelado aqui com os meus botões... talvez seja uma percepção subjetiva. Estar em companhia de alguém que te cansa, suga tudo de você (de qualquer modo, em qualquer contexto); fala coisas que você ... já reconhece em si mesmo ... mas faz questão de sempre reforçar, talvez na intenção de te atingir; não se importa com o que você sente... bem, talvez esta seja uma pessoa tóxica pra mim. Eu posso estar errada - mas eu tenho visto algumas pessoas assim na minha vida e, com certeza, isso está me afetando de uma determinada maneira. Estou me cansando... ando em um passo devagar, a fala e a conversa têm se tornado um sacrifício. Eu nem sei mais o que dizer. às vezes até o olhar no rosto é complicado. 
Meu corpo é novo...tão novo... mas já se comporta como se tivesse mais de sessenta anos. 
Ao mesmo tempo que me conecto ao mundo, sinto vontade cada vez mais de fugir, mas não se sabe para onde. Talvez para dentro de mim mesma, mas esse é um exercício que é bastante perigoso de se executar. Permanecer sempre dentro de si mesmo é um caminho às vezes sem volta. Durante tempos eu estive assim... com esse falante de dentro me dominando, sem enxergar o mundo à frente, mas quando me dei conta e tentei me expandir, me deparo a esse cansaço. E também certo medo... E também certa ansiedade. Algumas pessoas - essas que me parecem tóxicas - estão ao meu lado, mas eu não entendo muito bem o que tanto elas querem de mim. Certas horas parecem amigas, outras aparentam meus próprios carrascos. Então, eu canso.. Canso e aquela sensação de não querer mais nada me abate. De querer voltar ao cantinho, ao protegido e aquele coberto e o frio... o frio que me protegia.
Acho que quanto mais eu me expandir... claro, mais eu vou encontrar novas "gentes.". mas eu tenho receios de encontrar mais pessoas tóxicas por aí e o cansaço me abater completamente. Entretanto, por enquanto... vou continuar tateando, ouvindo... falando e, claro, pensando. me desculpem os gerúndios, mas no momento eu preciso disso. É o processo. 

GMOON

domingo, 22 de outubro de 2017

sinto muito...

Perdoe-me se não posso compartilhar
Aqueles sorrisos contigo
Se os dias meus são tão frios
E se meu linguajar do toque
não coaduna com o seu,
queria te enrolar em minhas palavras
proteger-te ali dentro
mas as minhas lágrimas têm tomado conta de mim
a cada segundo
em cada milimetro do meu corpo
eu jurei a mim mesma
que me sustentaria por todo estes caminhos
mas o suspiro surgiu
e o marejar tomou conta dos olhos
quando vi,
já estava domada
quase morta... longe de ti.


GMOON

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

desculpe, querida



desculpe, querida
se minhas palavras são incontidas
se meu toque te abomina
se o meu sorriso
e o meu corpo
não são o suficiente pra ti
era o melhor que eu podia, querida
é a única via que eu seguia,
saiba que eu sempre desejei
o que há de mais belo
pra ti
mas o tudo que você me disse
(e o que você não pode me dizer) 
reverberam em minha mente
E também nesse meu corpo magro,
insosso,
sem vida
então, eu prometo:
há ainda beleza neste peito
nesta rosa que desabrocha e exala seu primeiro
perfume... fresco
e hão ainda de chegar em ti
vibrando em teus olhos e nas curvas do teu corpo
unindo-me a tua beleza,
em um cimo onde não há mais tristeza.


GMOON

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Just another day...



Oh, eu aceitaria umas duas ou três
Ou outras maneiras de viver
Mas hoje eu não vou ser tão dura comigo mesma
Eu vou caminhar sozinha por uma rua diferente
E vou sorrir pra todos os estranhos que eu encontrar

E vou pegar uma vibe diferente
Eu vou me divertir por aí hoje
Vou inventar pensamentos simples
Eu vou sorrir de forma humilde

JUST ANOTHER DAY - LADY GAGA 

Aquela musiquinha pra te deixar livre, leve e alegre ♥ :)

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Cárcere


São emaranhados de fios
Que cercam a cabeça e confundem os sentidos
A visão turva
O pensamento se esvai
Até o coração oco
Pulsa como louco
Ao sentir este aperto
Ao passar este afeto
Por todas as veias do meu corpo
Eu sinto o teu gesto
Olho em seus negros olhos
Ah, o medo de continuar a contemplar!
Estes fios - Malditos e amaldiçoados fios
Teimarem a aporrinhar a minha mente
É a linha vermelha? Indagam-me...
Eu não sei se o nome disto é destino
Mas sinto como se a vida e a morte, unidas,
Tomassem-me em aflição
A iminência  - Talvez urgência? - de uma paixão
Ousassem me adoecer
Teus olhos podem enganar
A atenção imbecil e alienada continuar a te encarar
Sabe-se lá, deus,
quando destes fios vou me libertar!


GMOON 

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Reservas



Eu reservo o corpo
Eu reservo a palavra
Eu reservo os desejos
        Ao outro

Ao outro que o olhar me domina
ao outro que a voz fascina
Ao outro que está ao longe...
Onde minhas mãos nunca tocarão

Eu ouço sons de liberdade
Aquela voz que meu maior deleite desperta
As cordas que cantam os tempos de glória
Que cantam os desejos incontidos

Eu reservo meu corpo a este outro
Eu reservo minha voz e todos meus sons
Eu canto em meu corpo... Eu me preservo ao outro
Este desejo que se constela... Para um outro desejo que nunca se chega.

GMOON

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Não chamam o meu nome?




















As cores e dores
 sempre estiveram nos horizontes azuis e cinzas
Era o que os meus olhos poderiam ver
Dias e dias atrás.
Não importava o que os outros diziam
A caminhada
O olhar sempre estiveram para fora
As horas e segundos se estendiam
A terra seguia em suas voltas tranquilas
Mas os chamados...
Todos os meus chamados clamavam para fora
Então esses chamados ricochetaram no horizonte
E atingiram-me por inteiro
A cor e a dor espalharam-se por todo o corpo
E trepidam em meu peito
Chamados surdos...
Sutis,
Que já não concebem o horizonte
Que tentam não chamar mais por ninguém
Eu não sei mais se quero que chamassem o meu nome
O que é meu não está lá fora - eu sei
As ondas se espalham pelos meus poros
E a duvida se escandaliza no olhar
O que é meu está aqui dentro?


...eu sempre vou me contradizer

GMOON

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Chamam meu nome?


Entendo aquele olhar
Chamam meu nome lá fora?
Entendo aquele toque
Chamam meu nome lá fora?
Não há futuro para mim aqui dentro
Não há futuro na palavra fechada
Chamam meu nome... Aqui dentro?
Eu escuto palavras soltas
Sentimentos mal escritos
ou sentimentos desvelados...
Em demasia
Eu queria que chamassem o meu nome lá fora
Mas... Por que os olhares me parecem (in)sinceros?
Os braços e abraços frouxos e estranhos?
Talvez sejam as confusões dos meus sentidos
Ou talvez eles estejam certos.
Chamam meu nome lá fora?
Mas o chamado aqui dentro não me permite sair
Trancadas a sete chaves
As palavras estão em nós na garganta
Segura a minha mão
... Chama meu nome... !
Eu queria que chamassem meu nome lá fora!
Mas como ensurdecer-me do chamado aqui dentro?

G.MOON 

domingo, 17 de setembro de 2017

Aesthetic Personagens Originais

Faz algum tempo que eu gostaria de aprender a fazer Aesthetics. Comecei a pesquisar por cores e consegui montar alguns e me senti satisfeita.. Bem, acho que as imagens mostram alguns gostos e a personalidade dos personagens. Montei um para Missy e outro para Jane, ambas de Sentimentos Mal Escritos, uma fanfic escrita por mim, de Amor Doce. Além de fazer um para o Freyr, protagonista de The Golden Rose, minha fic original ♥



Missy Dandelion 
Personagem de Sentimentos Mal Escritos/ Protagonista
Azul / Livros-Estudos / Solitude / Doces / Gatos / Flores azuis / Simplicidade


Jane Castellari
Personagem de Sentimentos Mal Escritos / Secundária
Vermelho / Maquiagens / Livros-Estudos / Estilo / Independência / Flores vermelhas / Firmeza

___


Freyr Siegfried 
Personagem de The Golden Rose / Protagonista
Delicadeza / Magia / Leitura / Fascinio / Timidez / Caverna azul 
Algumas imagens como da Rosa, a caverna, o castelo e a árvore são referências diretas a historia... ♥  

Por enquanto, apenas estas ♥ 


G.MOON


sábado, 16 de setembro de 2017

Partida

Eu queria contar uma história. Mas não há historia alguma a contar. Eu queria falar sobre esse menina. Essa menina que ali habita. Essa menina que não sai de seu canto. Mas ela não tem historia alguma para contar. Ela vive de outros. Ela não tem a si mesma. Ela chora e se envergonha de viver apenas no plano do outro. Como se a existência dela fosse apenas dedicada ao que está fora, esquecendo-se do que há de querer por dentro. Eu quero contar essa historia. Mas eu não sei muito bem como começar. Eu quero contar todas as historias que ela tem para viver. Que ela já viajou e imaginou a viver. Mas ela não sabe... Não entende como começar. Sei que ela se pergunta todos os dias: Onde está o botão de partida? Pode ser de dentro? Não pode ser de fora? Ela precisa de papel. Ela precisa de caneta. Ela precisa de palavras e precisa contar a sua história.
mas onde está o botão de partida?
Ela se pergunta.
Todos os dias.
GMOON

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Apenas o corpo

Não há palavra
É somente corpo
Corpo com muito brilho
Corpo carregado de energias
Os olhos estão vendados
E o sentimento passa apenas pela pele
Não se digere na mente
E se expande
Estridente
Os membros se mexem em vida propria
sua energia é dispersa
confusa, Poderosa
Todos os controles se perderam
Não há palavra
Não há sentido
É apenas corpo
E toda sua energia divina.


G.MOON

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Força.

Lua,
Eu sei que nunca fui moça de cultos
Ou de crenças
Mas peço-te
Encarecidamente
Forças
Forças para me curar
Forças para curar aqueles que estão a minha volta
E que todas as minhas palavras se tornem reais aqui dentro
E que não sejam apenas jogadas pelos ventos.



G.MOON

domingo, 3 de setembro de 2017

Prosa do dia 03/09/2017



Certa vez eu disse por aqui que temos de enfrentar o que odiamos. Em alguns momentos nos precisamos ser fortes e saber o que dizer, o que fazer e não deixar a preocupação e o medo nos dominar. Eu construí esse lema pra mim e tenho tentado, mesmo que o pior ainda não esteja aqui, a manter-lo vivo em minha mente e tentar seguir como acho que deve ser.
Porém, certos momentos, na loucura da rotina, eu paro e uma vontade de chorar me domina de uma forma que não sei explicar. Olhar um ponto fixo, parar de pensar e sentir o choro sobrevir... O aperto no peito é mais do que real. Engraçado que, enquanto o choro vem, todos os pensamentos e problemas se destacam em minha mente e eu sinto que aqui não é meu lugar... Eu sinto.. Eu sei que algumas coisas precisam mudar.
Faz mal conter o choro, mas eu tento, de todo jeito. Assim como tento encolher os pensamentos e nada dá certo. Sabe... Eu consigo me remontar e permanecer algum tempo... Mas a vontade vem e é mais do que difícil controlar. Tem horas que simplesmente não dá.
Então, como agora, eu paro e penso no que isso pode ser. Encontro meus motivos egoístas, minhas dores contidas, as paixões nunca encontradas... São tantas coisas que encontro nas reflexões. Tantas coisas. Eu realmente queria expor aos outros, mas eu travo e nada sai daqui de dentro... Como se nada existisse.
Eu choro sozinha / Eu penso sozinha / Eu sofro sozinha.
Eu sempre me considerei uma pessoa extremamente contida em frente aos outros e hoje não sei como destruir essa imagem. Sei que algumas pessoas já me veem assim.. Já agem como se isso fosse o melhor (ou o pior) de mim . Dia desses cheguei a ouvir que tinha um "coração de gelo" e me senti extremamente desconfortável ao ouvir isso. A pessoa brincou, dizendo-me que era uma brincadeira... Mas é como dizem... Brincadeiras têm fundos de verdade. O meu modo de reagir se construiu assim e todas as pessoas ao meu redor não percebem absolutamente nada e eu não sei como fazer para que elas percebam. É estranho pensar e sentir de uma forma e agir de outra completamente diferente. É como se fossem duas pessoas morando aqui dentro.. E combatendo-se o tempo inteiro.
Eu queria soltar.. Eu queria me libertar.. Eu queria viver mais como penso em viver.. Mesmo que esteja tão cheia de incertezas aqui dentro, mas o modo como estou agora não me faz bem e só me faz temer e querer chorar. São tantos "querias...". Parece tudo bem para quem vê de fora, mas os caquinhos estão aqui dentro, perfurando-me e matando-me de pouquinho em pouquinho. O mais angustiante de tudo isso é que eu consigo enxergar o problema... Mas não enxergo... Não vislumbro a saída. Envolve família, amigos, futuro e expectativas. Eu só permaneço no "queria."
Esses dias a escrita tem me ajudado a reter algumas coisas... Mas é como eu disse, os momentos de súbito choro vêm e são mais fortes do que eu consigo segurar.
Sao forças opostas... Minha luta diária..
G.MOON 

Runway, Houses, City, Clouds



"Eu sei que algumas coisas
Tem que mudar."

G.MOON

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Os tempos de outrora




















Tive tempo de estar entre os sorrisos
Aqueles dias onde o sol aparece entre o ciano dos céus
Encontrando a minha pele
O meu sorriso
Com seus raios brilhantes
Tive tempos de estar entre os abraços
O vento acaricia o meu corpo
E as ideias que matam se espalhavam entre os dedos
Até mesmo os céus nublados
Aquele frio me faz abraçar o próprio corpo
Poderia esse ser o abrigo?
Agora estou em tempos de quase nada
Meu corpo não recebe o sol
Não procura o vento
Nem se preocupa com o tempo
Estou no instante da inércia
Da palavra que sai por um fio
Da experiência que não se completa
Minhas pernas retesaram-se
E os olhos procuram se fechar
Os sorrisos e os abraços continuam aqui
Mas sem alguém para alcançar
Queria voltar aos tempos de outrora
Eu sabia onde podia me encontrar.
 G.MOON 

domingo, 27 de agosto de 2017

Raízes



















O corpo levita
A cabeça flutua
Os olhos mal veem
O sentido que se foi
Naquelas palavras que em nada marcaram

Para dentro ou Para fora
Tanto faz
Minha mente nada mais retém
Sobrou somente o vento ao meu rosto
Quando tudo que esteve em você se foi
A raiz se desfez sozinha
Não há mais flores,
Nem a mulher que se via
Nem os mais notáveis sonhos
Jogaram-se aos céus
Onde nunca poderão ser encontrados
Eu jamais fui de alguém
Eu jamais me montarei
E desmontarei de novo
A cabeça flutua
As raízes crescerão
De tudo que eu mais queria
Era crescer em paz.

G.MOON 

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Imagem


















Há uma imagem de mim
Há uma imagem de ti
Há um sentimento de nós
O encontro, onde está o confluir?
Um pedaço aqui
Outro acolá
Pedaços diferentes
Peças que se quebram
Uma imagem que se constrói
E se destrói
Os cacos se encontram ao chão
O todo se reparte
Ou ele sequer existiu?
  * Meus olhos zombam de mim?


G.MOON 

terça-feira, 15 de agosto de 2017

O estranho





Todas as noites
Uma névoa de letras
E palavras soltas
Entre nós e caminhos
Feitos e desfeitos
Debatem entre si
E nesta pequena-grande guerra
Eu sou um estranho em mim mesmo
Fechar os olhos não me adianta
Procurar meu próprio abraço
Tornou-se um martírio
O próprio corpo não se reconhece
Estranha-se
Desabitua-se
Perdeu-se dentro de si mesmo
É uma espiral vazia:
Sem inicio, sem fim





G.MOON

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Prosa do dia / 01-08-2017



Depois de praticamente o mês de julho inteiro fora, eu volto a dar as caras por aqui... Mas, ainda burlando o tempinho, para poder respirar o MEU cantinho novamente... Que eu sinto tanta saudade. Sim, minha vida de universitária está bem louca esses tempos... Pois, apesar de eu estar pegando uma quantidade menor de disciplinas, a carga de leitura e atividades está intensa e temos que aprender a manejar, não é mesmo?
Porém, mesmo nesta loucura inteira, estou bem. Cheia de pontuações a fazer sobre mim mesma, mas estou bem. Minha relação com o pessoal na universidade anda bem divertida, em casa são as mesmas coisas de sempre, mas levamos em frente. E só, eu acho. Não tenho muito a dizer sobre minha vida social. Estou só com coração apertado por ter deixado o blog durante um tempo e me dedicado à universidade e às minhas fanfics (que ainda estão atrasadas rs), mas aos poucos eu vou voltando ao eixo. Talvez semestre que vem a loucura seja ainda mais intensa, mas acho que suporte é o que não me falta. 
Não é que eu parei de refletir sobre mim, na verdade, o fluxo de pensamentos continua bem intenso, mas eu não estou mais com tanto tempo para parar e escrever. Hoje eu parei por que a necessidade veio como um insight, sabe? Quando percebi já tinha uma guia aberta no computador e no rascunho do email eu fiz a poesia... e foi. 
Acho que posso continuar assim, não sei? Talvez, também, minhas energias estejam sugadas pelas fics? xD 
Não sei... Mas, enquanto eu viver, não importa se for em rascunho, em folhas de caderno.. em formas de poesias ou de histórias... Minhas palavras vão viver... Respirar e viver. Para sempre. É isso. =)

G.MOON

(Des)compassos



As linhas se entrecortaram aqui dentro
Desfazem os nós antigos
Os diversos caminhos já trilhados
Crio espinhos afiados 
Que crescem na carne
E na confusão dos sentidos 
Espalham sentimentos 
Sujando de rubro cada pedaço
Cada destroço jogado ao chão
Todas as minhas vias sumiram
As minhas certezas
As âncoras que me sustentavam, enfim
E sobra a angústia
A fina e pesada angústia
Com seu jeito desatino de me parar
De me fazer correr
Com esses sentidos ainda confusos
Os pedaços destroçados,
Distribuídos em cada espaço 
A cada passo dado
E me faz ser mais inteira
Menos estanque
Arrancando as raízes
Escorando-se nos (des)compassos.

G.MOON

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Linguagem do corpo




Os olhos voltados pra cima
A boca seca
Os lábios trêmulos 
Os dedos que se fecham
Meu corpo denuncia
O que a palavra não reconhece
O corpo denuncia
O que a mente desapercebe
O horizonte parece frio demais
Os outros têm seus olhares em mim...
Como se decorassem toda linguagem do meu corpo
Mas o que eu sinto?
O que eu percebo?
O que eu não vejo?!
Queria sair de mim,
Perceber tudo como nunca antes
Mas esta mente, 
É quem mais omite
Mais mente


Nega o que sente. 


G.MOON

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Desejo e solidão


Em tudo há meu desejo de solidão
Em cada passo meu, o rosto se contorce
E a pele se aquece
Gritando-lhe: Solidão
Quem sabe eu te peça uma palavra?
Quem sabe? Aproxime em um abraço?
Mas o meu corpo
A minha voz e todo meu canto
Vive na solidão
Solitude
Solitário canteiro
A palavra dita em um único sossego
A sombra de um pé de laranjeira
O pôr do sol e o alaranjado das nuvens 
A luz incide
E meu corpo é somente solidão
As palavras também parecem surgirem por si mesmas
Tatuam-se no tempo
Cobrando meu destino
Cantam e contam 
A solidão.
Quem sabe um dia uma alma sozinha
Encontre em um abraço algo que a comporte
Algo que afague, mas não afaste
O canto deste corpo
Encantado em solidão.

G.MOON

sábado, 8 de julho de 2017

Felino



Como um felino à espreita
Ela se agacha e espera
O seu bote pronto
As garras afiadas
Arrepia-se
E se revela adentro ... 
Nas noites de lua cheia
Onde ela se vê completa
Cheia de sonhos a vista
Às vezes parece bicho amuado
Quieto e reservado
Nada lhe interessa
Nada a convence
Mas ela pode ser muito mais
Do que qualquer um pensa
Seus olhos brilham em dourado
Seu corpo macio pode procurar um colo
Mas não por muito tempo...
Não em demasia

Pois ela se cansa
e seu corpo, sozinho
carrega sua própria alegria.

G.MOON

sexta-feira, 30 de junho de 2017

(in)Decisão



Qual a sua decisão?
Diga-me, antes que esta noite termine
E as estrelas com seu brilho não me alumiem mais
Antes que meu sorriso se apague
Antes que minha mente pare

Não entendo teus sinais
Esses teus gestos incertos
Os véus de furtivos movimentos
Que encobrem o teu rosto

Eu desejei estar tão perto
Eu desejei os teus suspiros
As palavras que me alegravam

Mas, agora, não entendo..
Qual sua decisão?

Diga-me
Antes que meus sentidos esqueçam 
como era antes desta confusão
Antes que tudo não passe de memorias amareladas
 neste meu passado erguido na
indecisão


G.MOON

sábado, 24 de junho de 2017

Momento difícil


Difícil perceber o momento em que não vê ninguém pra desabafar. Ninguém parece te compreender muito bem. Ninguém demanda teu tato ou teu abraço. Perceber que aqueles que pareciam ser amigos te deixaram em um momento difícil

Sentir-se abandonado 
Isolado entre muitos
Perdido entre vozes e risos

Como se sua existência pouco valesse ali. O que vale uma palavra trocada ou outra?
Quando os laços se desatam como se estivessem em areia movediça. Desmontando-se em uma velocidade que realmente não dá pra compreender

Talvez seja eu que crie expectativas demais. Talvez sejam eles que pouco me valorizam.

Mas a vida é assim... Não?
Nos vemos sozinhos
Desamparados

E o fato é...
Abraçar esta solidão. 

G.MOON

domingo, 18 de junho de 2017

Criança liberta




Queria ser criança liberta
Criança nascida do verde louro
Que grita aos sete ventos
E pula de pés descalços 
Sobre a terra árida deste terreno
Uma criança que não tem medo dos espinhos da flor
Celebra sua curiosidade
Andando entre os pântanos úmidos
À procura de novos territórios para construir suas fantasias
Nada de parquinhos
Ou brinquedos que pouco me exigem de 
Tato
Queria ser criança da terra
Crescendo em raízes férteis,
as verdes folhas e seus finos ramos
Florescer e brincar no amanhecer de um dia fresco
sem mais temer os ventos
sem mais temer as tempestades
nem as cicatrizes... 

G.MOON

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Prosa do dia 08/06/2017


Dias sem aula e sempre a mesma sensação de solidão, misturada às indagações  sobre o que eu devo fazer do meu futuro. Eu já estou tão acostumada, que quase não me deixo mais abater por estas coisas... Então, o que faço para aliviar? Escrevo ou fico a agir do modo mais objetivo o possível, mesmo que todas as dúvidas rondem a minha cabeça. Ou... simplesmente escuto música. Música que me acalma, me acalenta...  Como esta de Tame Impala, por exemplo... Banda que eu me viciei esses tempos.


Uma das coisas que mais ocupam meus pensamentos esses dias é... Será que fiz a escolha certa na universidade? Eu sempre gostei de Psicologia e qualquer coisa que envolva a subjetividade, a singularidade humana. Porém, quando me deparei ao curso, são tantas coisas diferentes... Tantas concepções diversas sobre o que é o ser humano, como ele se constitui, como ele vê e apreende o mundo... O que eu chego a pensar ser consequência dessa nossa diversidade mesmo de ser... Porém, sinto-me perdida em alguns momentos... Sem saber o que escolher, o que me identificar... É como um imenso banquete onde não sei do que me servir, tudo parece bom (quer dizer, nem tudo rsrs), com seus defeitos, mas imensas qualidades...
Ainda tem a questão de que eu não sei se darei conta. Ser psicólogo é muito complicado, de verdade. É incrível saber do outro, mas... Lidar com o sofrimento do outro, sem correr o risco de se envolver demais, bicho, é dureza. Mas eu não posso me desvencilhar para pensar agora... Tenho responsabilidades as quais não posso me abster :')

*******

Mas... mudando completamente de assunto... Aconteceu uma coisa muito chata comigo, que eu descobri ontem... Pesquisei uma fanfic minha (ainda em construção) no Google, e acabei descobrindo um serzinho que copiou minha sinopse, mudou o nome da protagonista e pôs em forma de vídeo... Sério, às 23:00 de ontem, senti que explodiria de raiva, mas antes de fazer qualquer besteira, postei em um grupo do facebook e várias pessoas me ajudaram a denunciar, mas não sei se o vídeo será excluído.
Eu amo tanto as minhas histórias e poesias... Faço no papel, passo para o computador.. Edito, reedito, leio e releio até acreditar que estou satisfeita e vem uma pessoa e copia meu texto sem o mínimo de respeito... Sei que foi apenas a sinopse, mas para pegar os capítulos restantes não faltou muito. Eu espero que consiga resolver isso, se não, vou ter de tomar outras providências ( ainda preciso ler sobre as denuncias no YT).

******

*Enfim... Apesar de tudo, estou tentando me manter mais calma. Não conto mais tanto com o tempo, mas tento meditar a prudência... E o meu ritmo. Acho que é isso... Se será bom ou não... Não sei :)

G.MOON

quarta-feira, 7 de junho de 2017

A flor e sua juventude



Em um canteiro qualquer
Havia uma flor
Exalando seu perfume graciosamente
Em júbilo da mocidade
Tão vermelha quanto a areia que a assenta
Tão solitária quanto os beija-flores que passavam por ela

Mas ela era uma flor diferente das outras
Esse seu cheiro
Seu encanto de juventude
Nada lhe trazia:
Nem um olhar
Nem uma doce palavra sequer

Passam-se as estações
O frescor do Verão
A frieza tímida do Outono
A glória e as cores da Primavera
E sempre parece um intenso Inverno para ela

Onde fica acolhida
Fechada
Inebriada em seu próprio cheiro
Encostada em seu solitário canteiro 

G.MOON

segunda-feira, 29 de maio de 2017

meio a meio



Nunca tive cara de nova,
muito menos de mais velha,
sempre um meio a meio...
Ou uma normalidade insossa.
Minhas palavras nunca foram tão maduras,
nem muito frescas,
eu sempre estive a deriva,
ora em mares mais rasos,
ora um pouco mais fundo...
Procurando os sentidos que se afundaram.
Nunca tive muitos amigos,
nem poucos amigos,
sempre um ou dois, talvez três
que permanecerão
que permanecem ou,
simplesmente
se perdem em seus próprios caminhos...
Eu nunca tive muito amor,
nem poucos amores,
meu coração sempre encontrou
um equilíbrio que nunca existiu,
transitando entre
a mania,
a melancolia..
Ou o egoísmo distante.
As paixões..
Nem tamanhas,
nem pequenas.
Uma dose sem expressão,
 um ardor que pouco fez efeito.
O calor que não se afogueou:
Apagou-se antes que eu soubesse que existia.

Eu sempre fui um para lá e um pouco de cá.
Esse meio a meio vem incomodando,
vem se preenchendo de um excesso invisível,
que pode se tornar um nada gritante.

G.MOON

sábado, 27 de maio de 2017

Opacidade




Sempre estive entre as luzes,
Procurando por mistérios
E contendas que nunca foram minhas
Os corredores,
Antes iluminados por raios de luzes brancas
Hoje sobram apenas as frestas
Os mínimos filetes
Que me permitem saber das tuas passagens
Sem muita nitidez
Em pontos turvos, incertos
E muito afinco... Angústia.
Nunca pensei que um dia
Pudesse dizer:
Não há nada mais aqui
Não há mais passo dado, nem expectativa
Amor ou sequer ódio
Há apenas o opaco
O indiferente
O sem vigor
O meu caminho é difícil demais?
A minha estrada parece tão cheia de obstáculos, assim?
Parece, para você?
Eu juro tentar, juro que tentei te ajudar
Mas teu ardor nunca se integrou a mim
Os sorrisos e a doçura (fingida, talvez?) nunca foram para mim
Estarão sempre do lado de lá
Onde não estou
E nunca estarei
Trato de andar pelos mesmos corredores
Sozinha
Estranhando-te em demasia
Mas eu juro que quando a caminhada terminar
Essa tua memória sempre vai permanecer

Por mais que eu lute para me libertar


G.MOON

Eu



Certos momentos eu me pego pensando e quando percebo, algo desesperador.. Angustiante, lampeja em minha consciência: É somente eu, eu e eu. Sou eu quem me construo, sou eu quem me conduzo, somente eu quem me entende, de verdade. Os outros são os outros, perdidos em suas próprias couraças, guardados a sete chaves (na maneira mais clichê de se dizer) em seus próprios segredos.

Nada mais há de acontecer nesse mundo, senão encontros de fortalezas... Encontros de segredos. E não há nada mais bonito do que isto.

Se você me permite passar: Está tudo bem. Se não, teu espaço é teu culto e tua morada mais bonita: Tudo bem, também.

-G.MOON

quinta-feira, 25 de maio de 2017

prosa do dia 25/05/2017



Eu percebi que nestas ultimas semanas eu tenho produzindo menos poesias e me concentrado mais em minhas fics.. Infelizmente, acabei me afastando um pouco do blog por conta de uma problema familiar e, agora, estou canalizando energias para produzir minhas historias.. Porém, acho que há algo mais que tem me deixado um pouco longe daqui: O fato de que eu tenho refletido os meus pensamentos, os meus sentimentos e pouco estou conseguindo imprimir em papel. Tudo fica perambulando em minha cabeça e quando pego o papel as palavras são insossas e sem muita vida. 
Esses tempos eu tenho descoberto algumas coisas... Umas ruins outras medianas... Amizades que na verdade nunca foram amizades; uma nova forma de lidar com algumas situações... O controle da raiva, outros manejos... Teorias que têm feito sentido em muita coisa.
Uma felicidade estranha aqui dentro, que tem se alimentado destas descobertas também esquisitas.
Pode ser que eu esteja tão inundada, de tantas coisas diferentes, que fique difícil de tecer as palavras... As teias se desfazem, descolorem, talvez ganham o real? Não sei...
Continuo estudando (apesar de todos os problemas que surgem naquela universidade), inventando um futuro que ninguém consegue prever, mas minhas válvulas de escape sempre me ajudam a enfrentar o real. 
Não gosto de passar muito tempo longe daqui, mas por enquanto é isto... Talvez estes afetos ganhem algum sentindo... Algum momento, talvez. Moon está descansando esses dias.


G.MOON

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Introdução ao futuro



Quando nada mais estiver em tuas mãos
Olhe para trás
Nem que seja um instante
Nem que o brilho amarelado das folhas seja angustiante
Veja os carinhos negados
As palavras mal ditas
Os silêncios de muitos afetos 


Olhe para trás
Mas mantenha os olhos nus
Secos de lágrimas
Firmes por tua história
Desnudos de qualquer valor
Sem contar qualquer pudor


Quando olhares para frente
Terás a imagem que não pode ser repetida,
Jamais.

- G.MOON

domingo, 14 de maio de 2017

Desorganização




Os amores rodopiam por dentro
Abrem os braços e me dizem o quanto querem se expandir
Aguçam os ouvidos: os sussurros perturbam de dentro para fora
Os sentimentos continuam a bagunçar a unidade da vida
Quando todos estão aqui
Mal veem o fogo que ascende nos olhos
Quando todos se vão
Este fogo brilha em ciano aqui dentro
De nada me adianta perguntar onde estão os meus destinos
Eu apenas deixo a desorganização investir
Os amores rodopiam, bagunçam
Despenam
E eu estou entrando nesta dança

Deixando o ciano tomar conta de cada dor em meu corpo

- G. MOON

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Vinte



Então... Chegou o doze de maio.
Dessa vez não pensei em uma poesia. Mas palavras soltas bastam.
Vinte anos não parecem muita coisa... Mas em mim já ganhou uma carga enorme. Hoje somente será mais um dia normal em minha vida. Talvez eu receba um telefonema ou outro.. Mas nada lá fora muda. Nada mesmo. 
Aqui dentro.. Talvez. Não tão rápido quanto penso. Nem tão significativo.. Mas muda aos pouquinhos.
E talvez eu nem perceba muito bem: Os olhos outros. As ideias outras.. As pessoas... Outras.
Sinto que algumas coisas permanecem aqui, talvez sempre permaneçam.. Mas os sentidos mudam de tal forma que até eu mesma me surpreendo e é importante me manter assim.

Atenta, pensativa... Refletindo e ressignificando tudo sobre os outros e, principalmente, sobre eu mesma.




Então, parabéns para mim. Parabéns para você, Moon, que me ajuda a mudar.

Ser um novo ser todos os dias da minha vida.

-G.MOON

segunda-feira, 8 de maio de 2017

(In)satisfação



Dizem que sempre buscamos nos completar
 Somos seres de faltas
 Dos quereres
 Das incompletudes
 Das buscas


 Nessa minha (breve) mas cansativa caminhada
 Cada dia mais me parece que
 Não há objeto
 Nem Ser capaz de me levar à plenitude


 Sou feita do não ter
 Da representação inacabada
 Do discurso que nunca se completa


 Todas as minhas escolhas levam a novos quereres
 E esta angustia perdura...
 Insiste
 Persiste
 Até o pêndulo da vida parar
 E cair a plenitude do ser.


- G.MOON 

terça-feira, 2 de maio de 2017

E os ventos de maio se anunciam...



Então... Chegou o "meu mês" (Faz sentido?).

Daqui a 10 dias a crise dos 20 se acentuará, ela já bate na minha porta. Enfim, perguntaram-me esses dias... Está preparada para os vinte anos
Bom, eu acho uma pergunta estranha, mas ao mesmo tempo plausível de se fazer. 
Eu diria, há alguns anos atrás, que é apenas mais um ano que chega. Mais um pouco de idade. Porém, desde os dezoito anos, perspectivas diferentes invadiram o meu doze de maio e cada vez mais tem se tornado uma experiência mais intrigante... mais interessante. O que é ser adulto? Como será meu futuro? O que se faz daqui para frente? Como agir diante de tantas novas situações que se colocam à minha frente?
Pode parecer bobo se fazer tantas perguntas... Mas os questionamentos chegam aos montes e, realmente, não estou mais tão disposta a respondê-los.  Esses dias eu estou... diria que... "Seguindo o fluxo". Cada dia uma situação nova, cada dia algo novo para se aprender. Então, estou seguindo, me colocando à frente, ainda com estes questionamentos em mente, mas sem me alongar nestas reflexões. 

Elas algum dia serão respondidas? Não sei, talvez. Talvez as experiências me ajudem a responder... Mas eu sempre me angustiei demais por situações que fazem parte das nossas vidas... Coisas comuns, que passam (na verdade, ainda sou um pouco assim). Mas estou meditando o seguir... O caminhar, pensando, respondendo, agindo como posso. Até onde meus limites alcançam. 

- G.MOON

domingo, 30 de abril de 2017

Não há.



Não há pergunta
Não há resposta
Não há palavra
Não há diálogo

Nem sequer um abraço
Ou um toque desejado

São apenas estranhos
Seguindo seus destinos distintos
São apenas estranhos
Observando-se entre seus caminhos

Eu sou apenas expectativa
Sou apenas o desejo
A palavra contida
O abraço ao vento

Já você... Você?
Pra mim... você é apenas imaginação
Apenas o que eu planejei
Apenas o que eu esperei

Você deve ter em si,
Algo que eu nunca sei.
Talvez nunca saberei.

-G.Moon

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Indecifrável



Quando tudo se for
Sei que ainda estarás presente aqui
Quando o pulso pender ao infinito
Sei que podes cantar para sempre
Quando toda sensação se esvair
Sei que tua imagem continuará aqui

Assustam-me as correntes do destino
O fim de todos, a imagem não definida
E indecifrável do não-ser 
Mas todos vão se constituindo de pé
As marcas constroem-se pelo mundo afora

Então
Quando tudo se for
Todas as tuas pegadas continuam aqui
Em cada fio de pensamento

Em cada lágrima feita somente pra ti.

É tão estranho perder alguém querido... :'/ Mas ele está em paz agora.

-G.MOON

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Uma foto para alegrar o dia.


Eu amo gatos... Acho que sempre deixei isso bem claro por aqui. xD
Essa fotinha é tão meiga e simples, mas me acalentou de um jeito estranho que eu sinto uma paz enorme quando olho para ela.
É só a Smoothie (nome da gatinha) e algumas flores.
Mas me deu um conforto.. 
Não sei explicar. Deixo aqui pra vocês.

-G.MOON

PERDÃO

Eu deveria pedir perdão A mim mesma. Pelas histórias inventadas Os sentimentos perdidos E as palavras mal explicadas Eu deveria p...