quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

- Quero o bem, meu bem.



Olhe, olhe profundamente,
Em meus infinitos olhos
Mas, o que você está a ver?
O que sente? 
Onde estão seus olhos?
Encontre os meus!
Porque não agora?
Porque não além?
Para sempre.
Mas, o que é que tem?
Se não for agora...
Será nunca.
Menino, não se perca.
Estranhe, Veja, 
Sinta, finalmente, 
Movimente-se!
Que eu te quero bem.
Mesmo cansado, mesmo,
Com o vazio em troca.
Eu só quero ter a alegria
De viver em alguém.


Descobertas?


Sério, às vezes tenho sensações tão estranhas que me perco em meu próprio eixo. Seja um olhar, uma situação. Crescem e crescem em minha mente, como uma bola de neve, e não chegam a lugar algum. Coisas tão banais, que passam a ter uma importância imensa para mim... Sabe, a simplicidade? Então. Torna-se algo complexo. Falo isso, porque acontece tantas vezes comigo, que tenho que parar alguma hora para pensar sobre a raiz desse meu problema (será mesmo um problema?) . Pode até ser, ou, pode me ajudar alguma hora, então... Só as experiências vão dizer.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Ciano flamejante.



Nos extremos da noite
suas máscaras estão à solta
ele está ali, a espreita
abaixo das sombras
andando entre as esquinas
à procura do seus prazeres
- perdido.
garoto, tuas pegadas vibram
estirando-se nas avenidas
deixando rastros de chamas
por onde passa.
ares violentos, ludibriosos.
menino, teus olhos
têm lumes azul-ciano
que iluminam e estremecem
todas as almas esquecidas
- desta cidade.


Yato-chan, porque sim <3



Parecia apenas mais um sonho.


Deveria ser o primeiro raio da manhã. Acordei incrivelmente cansado, ainda zonzo, como se aquele terrível pesadelo da noite realmente fora algo real. Por que há tantos sonhos que parecem realidade? Somente enganos, mas os medos, a felicidade, tudo é sempre tão verdadeiro. Levantei minha cabeça, tateando a cama procurando por aquele que eu havia perdido dentro da minha mente insana. Um carro, o mar, uma terrível ribanceira. Ele dentro do veículo, agonizando. E eu, como louco, a gritar o seu nome. Sem ao menos poder ajudá-lo, vendo toda aquela horrível cena. Acho que eu me debati na cama, gritei, senti, como se tudo estivesse ali, comigo. Estava tudo perdido. Seu corpo no mar, nunca mais eu o veria novamente. Meu amor, meu único amor, estava lá, naquele infinito mar, de olhos fechados, nem mais um sopro de vida.
Quando senti meu corpo acordar, a luz da manhã parecia me invadir de forma agradável, suspirei aliviado. Era apenas um pesadelo. Um estranho pesadelo. Minhas mãos agoniadas, continuavam a encontrar os lençóis; meus olhos permaneciam fechados, não estava com muita coragem de abri-los.

Abri os meus olhos, onde eu estava?

Não vi as mesmas cores, objetos, os mesmos ares. Tudo estava tão diferente. Onde eu estava? Onde ele estava? Levantei-me, observando o espaço vazio que me rodeava. Eu parecia preso, em algum lugar que eu ao menos sabia onde era. Estava com medo de andar, falar, mexer-me e procurar abrigo. Instalava-se o caos em minha mente. Onde ele estava? Onde eu estava/? Que lugar era aquele? Por que eu estava ali? Qual o sentido de tudo isso? É tudo branco, sufocante, fechado. Por quê?

De repente, eu o avistei ao longe, alguns metros de distância. Comecei a andar, estranhamente, aos tropeços, soluços, sentindo medo e olhando para os lados. Parecia cada vez mais longe, parecia cada vez mais escuro. Tornou-se sombra, uma sombra a desaparecer no vazio. Ansioso, desabei de joelhos. Meu corpo tremia e eu sentia frio. Agarrei-me ao meu corpo. Era o único abrigo que eu poderia encontrar ali. Onde eu estava? O que tudo aquilo significava? Por que minha voz se retraia? Por que meu corpo sequer conseguia pedir um socorro. Será , será, aquilo...

As paredes, invisíveis. Começaram a ruir. Tremores, tantos tremores, eu senti.

Deveria ser o primeiro raio da manhã. Meus olhos estavam incrivelmente cansados, minha mente confusa, cambaleante. Acordei, tateando a cama, à procura daquele que parecia tão distante em meus piores pesadelos. Permanecia de olhos fechados. Encontrei os lençóis, algumas almofadas. Até encontrar algo macio, confortável, bem ao meu lado. Percorri com os dedos a superfície lisa, sorrindo, ali estava o que eu tanto procurava. O medo passou, estava ali. Girei minha cabeça para o lado.


Finalmente, abri os meus olhos. O brilho azul dos olhos dele eram tão reconfortantes. Parecia apenas mais um sonho.

_______________________

Hello?. Fiz isso em um ímpeto de loucura. Estava ansiosa, e precisava escrever. Então... Saíram esses sonhos loucos aí.

 

domingo, 25 de janeiro de 2015

- Ciclo












[Tudo está sempre tão no mesmo lugar
Tudo sempre aparece as mesma cores
As mesmas vozes
Os mesmos passos
Gira, os círculos em movimento
Não toca
Nada está ao meu alcance
Oh menino, quanta ânsia
Acho que tudo está a voltar
Sim, está a voltar
Como em um deja vú
Sempre,
Viciante - insistente]


Um pequeno trecho em como eu acho que estou agora. Minhas férias, sempre parecem as mesmas.


quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

- Sombras



Eu estava lendo um livro aqui e, passei a refletir sobre algumas coisas... Sabe, o nome desse livro é “A Sombra interior” de James Hollis, comprei por acaso aqui na Feira de livros da minha cidade e depois descobri que ele é de Psicologia (coincidência rs’) Sério, eu queria comprar apenas “Ilha do Tesouro” (li e odiei), mas poderia levar 2 por 25,00.. Então, peguei “A Sombra Interior”.

- A noite


O alaranjado dos céus denunciam
A chegada da noite; tempestuosa,
Assim, toda minha linha de vida.
Os pássaros se adiantam e,
Recolhem-se, no ar.
- Voltam para seus ninhos
Dispersam ao sentirem minha aura,
Dispersa-se a natureza de bonança
Dispersa-se o destino que eu via,
Pávidos, com o frio, da minha aura.
Meus verdes olhos, perdem-se
O seu antigo brilho, lumioso, de criança
Abatem-se, onde está minha criança?
Ela também se perdeu na noite?
Ela chora, no seu antigo leito,
Ela corre, não sabe como criar a luz.
Há algum perigo, bem ali, na luz?
A criança pede o seu amor, onde está,
- Onde está? A noite o levou, talvez?
E, assim, as sombras seguem...
A tempestade se esvai...
A aura, vazia,
A luz do sol nunca fora tão ferina.


E se eu disser que esse poema é inspirado em um projeto meu? Sim, sim *-*



terça-feira, 20 de janeiro de 2015

- Saudades !! *-*




Alguns dias sem postar e eu já sinto tanta saudade. Esses dias têm sido um pouco pesarosos, a reforma aqui em casa ainda não acabou e, estou carregando peso ( mesmo com meu braço um pouco danificado / tenho LER /), ajeitando as coisas, mas logo logo estará pronto ~ espero ~... Então, tivemos alguns outros problemas, que estão sendo resolvidos aos poucos também... Mas, esquecendo tudo isso aqui em casa ~ Esses dias fiquei sem postar, pois estava usando internet pelo celular, é bom, mas tenho muitas limitações. Dá para postar, mas... Imagem que é bom, fica horrivel para editar. Nunca mais fiz poemas, estou com saudades, mas minha criatividade está quase abaixo de zero, quer dizer, tenho adiantado alguns projetos nessas férias.,. Acredito que já posso começar a falar novamente sobre eles aqui, estou amadurecendo um pouco mais ( apesar de ainda achar que são adolescentes MUITO)  O meu primeiro, e  mais amado eu já terminei, faz um bom tempo, mas o outro ficou pela metade. Ano passado foi muito apertado para mim, não deu para escrever muita coisa... Então, vou tentar fazer em FEVEREIRO o que não fiz no ano de 2014 inteiro, vai ser complicado, mas, preciso adiantar, pois universidade está chegando aí (o/)... Sabe, às vezes sequer acredito que já estou indo para o ensino superior, parece até brincadeira... Mas, é verdade! Eu pego minha ficha de matrícula e olho para acreditar! *-* Bom, vou tentar fazer algum poema daqui há alguns dias :/  Quero fluir em palavras um pouquinho.... Que tal tentar fazer com papel e caneta à noite? *-*


sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

- Teias



Às vezes tudo parece distante. O mundo lá fora é como um enorme campo, às vezes vazio - às vezes cheio, mas sempre distante. Algo que meus olhos jamais conseguirão se acostumar. São coisas demais. O homem a andar na rua, pensando vagamente em sua vida; fregueses a discutirem com comerciantes sobre o preço da laranja; a mulher a andar agoniada na rua, preocupada com horário de trabalho; crianças a correrem, indo para a escola; crianças deitadas na rua, desalentadas, sem ter o que se alimentar. São tantas vozes, caminhos, tantos universos. São tantos nós, nós estirados, pelas ruas, dentro das casas, dentro das mentes. Chega a ser confuso. O mundo é formado por teias - furadas, degastadas, algumas desmontadas. Meus olhos, a enxergar além - não se acostumam. O que me encaixa? Meu corpo vaga por essas ruas,  a olhar seus movimentos contínuos, iguais e vazios. Sempre os mesmos. Às vezes sinto que meu espírito jamais se acostumará com TUDO isso. Com todos esses caminhos, com todas essas adversidades. Por mais que o mundo seja incrível, a simplicidade se afasta, distancia, e, meus olhos, a acompanham, pesarosos. Cada dia que passa, as linhas vão se encontrando, se enrolando, formando teias e caminhos cada vez mais extensos, complexos e nós - indo com eles.


terça-feira, 13 de janeiro de 2015

- Vazio.


na rua, sozinho a caminhar
dentre milhares de rostos - análogos
descem, pingos d'água, 
estremecem
no melancólico asfalto
assim como minha alma
a se exaltar,
sobre pingos - ou respingos?
de solidão.
- dor dos estranhos,
estranhos ao mundo
alheios aos sentimentos comuns.
o mundo parece-me um vazio, fora de mim
ou, eu estou distante de seu vazio? 


Trecho do dia :p



Aqui na minha casa está uma bagunça geral, estava resolvendo minha matricula( ja estou matriculada *-*) e como está bem dificil tem um tempinho aqui... as postagens estarão escassas até não sei que dia...Ainda faltam alguns pontos a serem retocados aqui em casa, então... :/ 
Ontem fiz a minha matrícula e cheguei em casa em um estado de calamidade pública! Toda pintada, cheia de glitter, mas super feliz! Consegui minha matricula, depois de tanto esforço... Daqui 1 mês e alguns dias começam as aulas, não estou tão ansiosa assim, mas, espero dar tudo certo por lá :) 
Não tenho muitas novidades, nem estou com muita disposição de escrever, então é só isso msm .. :P






sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

- Pedaços



desmanchando em pequenos
leves, picadinhos de papel
na água morna - quase fria
do mar salgado, que escorre
por meus olhos negros.
negros e fundos, 
com uma profundidade 
vazia, cínica
a gritar por sossego e,
alento.
escorre e desmancha
os pequenos recortes
dos dias pincelados,
sobre as paredes descascadas
escancarado as antigas
- faces,
 de meus pesadelos.

No último post falei da minha falta de inspiração, mas, sabe como é ,né? :p



Prosa do dia!

Yo! Olha eu, sumida. 4 dias parecem eternidade paramim....  Bom, estou inaugurando postagem pelo celular... Não é lá muito confortável, mas dá para escrever um pouco.... Agorinha mesmo estou lendo um livrinho que falarei nestante, e quis dar uma passadinha aqui e mostrar.
. Estou lendo um livro da Wicca, o nome é "Wicca Essencial"... Encontrei em uma faxina aqui em casa e quis saber um pouco mais sobre essa religião...  Parece bem interessante... É uma religião ligada à natureza, fertilidade ( ~Freyr-Freya feelings ~), têm rituais de magia, circulos mágicos... Possuem inspirações em mitologias, contos, e eles tentam resgatar as antigas religiões europeias pré-cristãs. Eu adoro aprender sobre esses rituais que envolvem magia, mitologias... É sempre interessante aprender sobre coisas diferentes do nosso cotidiano, abre um pouco mais a mente. As pessoas "demonizam" muito esse tipo de religião, é bom se informar para poder argumentar.
 ( Uma fotinha do livro, com filtro estilo 'lomografia', to gostando dessas utilidades do meu novo cel  hhauhsu ) 

Estou com poucas postagens, por causa da reforma aqui em casa, está um inferno, além de que estou resolvendo alguns documentos da minha matrícula, mas já está ~quase~ tudo certo. Segunda-feira é o dia <yn>! Estou totalmente sem criatividade e com a cabeça muito cheia para fazer poemas, na verdade, eu preciso e MUITO, mas nessa agitação fica difícil... :(



segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

- Segredo



finalmente, chega a hora.
todos os portões se abrem
os corvos se esquivam,
em direção aos cinzentos céus
são mensageiros em mantos negros
anunciam meu dramático desfecho
desmantelando todos os cacos
em vidro -  de uma vida
moldada em dores
instituída em lagrimas
modelada - remodelada em favor
do Medo.
agora, os mantos negros
conduzem-me ao clímax.
estranho - desconhecido
o frio se aproxima:
- fechem meus olhos,
o segredo, o mistério
está prestes a me ser revelado.

Já disse que adoro corvos? :D




domingo, 4 de janeiro de 2015

- Quer dizer que o mundo é dos extrovertidos?


Quer dizer que o mundo pertence somente aos Extrovertidos e Alegres?

Ah! Diabos! ~ ~ Desculpem-me a expressão, mas algo que me irrita ao extremo é aquela ideia, a qual a grande maioria tem de que TODOS - veja, TODOS - precisam ser alegres, sorridentes e cheios de energia! Não necessariamente eu preciso estar sempre com um sorriso estampado no rosto, ser mais "alegre", simplesmente não consigo ser assim. Não sou obrigada a fingir que meu mundo é feito de arco-íris e mel ( não que todos extrovertidos sejam assim, superficiais, mas se exigem que eu seja "mais alegre", será muito superficial.). Não é do meu feitio fingir ser o que eu não sou... Put'z! Se é para alguém gostar de mim, gostará do meu eu verdadeiro.

Sim, não sou uma pessoa muito sociável, realmente sou quieta, mas se eu me sinto bem assim, QUAL É O PROBLEMA? Meu mundo não é sempre feliz, minha personalidade não é assim! Não preciso ser/agir dessa forma para a minha felicidade, mas muitos não entendem que estar sozinho, gostar de momentos solitários, não ser muito sociável, são um defeitos mortais! Não vou negar, eu também já pensei dessa forma, achava que eu estava errada e tentei mudar, mas depois eu entendi. Eu me compreendi. Essa é minha personalidade, já está consolidada, não há como transformar!

 "Ah, mas você tem que ser mais alegre, você é muito emburrada" Não sabe como isso me enche de raiva. As pessoas sempre querem que você se adeque às coisas que ELAS acham essenciais, esquecem-se que minha individualidade, minhas vontades e desejos existem e devem ser respeitados. Será que é tão difícil entender isso? Será que é tão difícil respeitar a personalidade dos outros? Não posso ser o que 'querem que eu seja', é um desrespeito com meu eu, minha própria vida. Sinto-me muito bem em ter me compreendido e ver que essa fase de me "adequar aos outros" passou.
~ momentos desabafos ~


- Reflexões para 2015



- Bom, o que eu posso esperar para esse ano? 

- 2015 para mim é um ano um pouco incerto... Quer dizer, estou pertinho de ir para a universidade e, sinceramente, não sei muito bem o que pensar o que acontecerá lá. Será que vai ser muito complicado? Divertido? Vou me dar bem com meus colegas? Hm... Não sei muito bem o que pensar. Mas, de uma coisa tenho certeza. Tenho que me esforçar, dar o melhor de mim. Putz, eu, com 17 anos, já vou começar minha caminhada na universidade... Sabe, sinto-me um pouco amedrontada, não sou tão madura ainda, mas eu acredito que vou amadurecer mais com o tempo. Mas, pelo menos era algo que eu muito almejava. Passar na universidade logo. Eu não sabia muito bem o que eu ia fazer... Emprego? Se dedicar somente aos estudos? Cursinho? Eram tantas dúvidas
passando pela minha cabeça, ainda mais que eu não acreditava muito que ia passar... Fiquei imensamente feliz. Minha mãe também, tão orgulhosa. É incrível você ser motivo de alegria para alguém, principalmente para sua mãe!Quero cada vez mais ser um grande orgulho para ela.  Agora,, meu futuro só depende me mim mesma, e vou fazer para não cometer muitas falhas, apesar de que em todo caminho há obstáculos! É só saber como ultrapassá-los...Amizades, todo passado... Pretendo preservar muitas coisas que conquistei em 2014...
Tenho que aproveitar minhas férias, escrever bastante, assistir os animes encalhados, ler meus mangás logo. As aulas começam em março... O ano vai ser cheio e, minha preparação já tem que começar não? 

Não tenho muita coisa pra dizer mesmo, afinal, como eu disse, é tudo meio incerto. :P Mas, acredito que 2015 será um ano bom, cheio de aprendizado, assim como 2014 também foi, na verdade o ano passado foi o ano em que mais aprendi, sobre tudo... Quero que esse siga na mesma 'vibe' hehe
Há quanto tempo não posto minha diva Grell aqui? O.o


 Eu acho minha assinatura tão linda... Não quero trocar :( Mas já tem tanto tempo.... :p
 

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

- Debaixo dos teus lençóis...



Debaixo dos teus lençóis
Eu me deitei
Naqueles tecidos cor de violeta
Abriguei meu frágil ego
Que teimava em fugir.
Tu se abrigou comigo
E, entendeu as minhas dores
Debaixo daqueles lençóis
Eu me aninhei assim,
Curando-me em teus braços
Deixando o grande ego
Desintegrar-se no teu calor
Enrolei-me naqueles fios
Em mil orações por você
Que de instantes e instantes
Chora e se sacrifica por mim.
Não se desespere; meu menino
Tuas doces lágrimas despejam-se
E em meu corpo, encrostam-se
Formam minhas próprias couraças
Onde eu te abrigarei 
Com todo o calor
Que eu puder te entregar.


Primeiro Post de 2015!! Ano ímpar, simplesmente não curto muito D: Já comecei o ano um pouco mal-humorada, mas é tudo por causa da movimentação e barulho em casa... Pessoas como eu não curtem muito isso, e, não consigo ficar bem... E, o pior, não posso reclamar, pois estarei errada D: Próximo post, farei umas reflexões sobre o novo ano, claro, para a minha vida... E lá vamos nós!!



O estranho

Todas as noites Uma névoa de letras E palavras soltas Entre nós e caminhos Feitos e desfeitos Debatem entre si E nesta pe...