quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Chamam meu nome?


Entendo aquele olhar
Chamam meu nome lá fora?
Entendo aquele toque
Chamam meu nome lá fora?
Não há futuro para mim aqui dentro
Não há futuro na palavra fechada
Chamam meu nome... Aqui dentro?
Eu escuto palavras soltas
Sentimentos mal escritos
ou sentimentos desvelados...
Em demasia
Eu queria que chamassem o meu nome lá fora
Mas... Por que os olhares me parecem (in)sinceros?
Os braços e abraços frouxos e estranhos?
Talvez sejam as confusões dos meus sentidos
Ou talvez eles estejam certos.
Chamam meu nome lá fora?
Mas o chamado aqui dentro não me permite sair
Trancadas a sete chaves
As palavras estão em nós na garganta
Segura a minha mão
... Chama meu nome... !
Eu queria que chamassem meu nome lá fora!
Mas como ensurdecer-me do chamado aqui dentro?

G.MOON 

domingo, 17 de setembro de 2017

Aesthetic Personagens Originais

Faz algum tempo que eu gostaria de aprender a fazer Aesthetics. Comecei a pesquisar por cores e consegui montar alguns e me senti satisfeita.. Bem, acho que as imagens mostram alguns gostos e a personalidade dos personagens. Montei um para Missy e outro para Jane, ambas de Sentimentos Mal Escritos, uma fanfic escrita por mim, de Amor Doce. Além de fazer um para o Freyr, protagonista de The Golden Rose, minha fic original ♥



Missy Dandelion 
Personagem de Sentimentos Mal Escritos/ Protagonista
Azul / Livros-Estudos / Solitude / Doces / Gatos / Flores azuis / Simplicidade


Jane Castellari
Personagem de Sentimentos Mal Escritos / Secundária
Vermelho / Maquiagens / Livros-Estudos / Estilo / Independência / Flores vermelhas / Firmeza

___


Freyr Siegfried 
Personagem de The Golden Rose / Protagonista
Delicadeza / Magia / Leitura / Fascinio / Timidez / Caverna azul 
Algumas imagens como da Rosa, a caverna, o castelo e a árvore são referências diretas a historia... ♥  

Por enquanto, apenas estas ♥ 


G.MOON


sábado, 16 de setembro de 2017

Partida

Eu queria contar uma história. Mas não há historia alguma a contar. Eu queria falar sobre esse menina. Essa menina que ali habita. Essa menina que não sai de seu canto. Mas ela não tem historia alguma para contar. Ela vive de outros. Ela não tem a si mesma. Ela chora e se envergonha de viver apenas no plano do outro. Como se a existência dela fosse apenas dedicada ao que está fora, esquecendo-se do que há de querer por dentro. Eu quero contar essa historia. Mas eu não sei muito bem como começar. Eu quero contar todas as historias que ela tem para viver. Que ela já viajou e imaginou a viver. Mas ela não sabe... Não entende como começar. Sei que ela se pergunta todos os dias: Onde está o botão de partida? Pode ser de dentro? Não pode ser de fora? Ela precisa de papel. Ela precisa de caneta. Ela precisa de palavras e precisa contar a sua história.
mas onde está o botão de partida?
Ela se pergunta.
Todos os dias.
GMOON

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Apenas o corpo

Não há palavra
É somente corpo
Corpo com muito brilho
Corpo carregado de energias
Os olhos estão vendados
E o sentimento passa apenas pela pele
Não se digere na mente
E se expande
Estridente
Os membros se mexem em vida propria
sua energia é dispersa
confusa, Poderosa
Todos os controles se perderam
Não há palavra
Não há sentido
É apenas corpo
E toda sua energia divina.


G.MOON

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Força.

Lua,
Eu sei que nunca fui moça de cultos
Ou de crenças
Mas peço-te
Encarecidamente
Forças
Forças para me curar
Forças para curar aqueles que estão a minha volta
E que todas as minhas palavras se tornem reais aqui dentro
E que não sejam apenas jogadas pelos ventos.



G.MOON

domingo, 3 de setembro de 2017

Prosa do dia 03/09/2017



Certa vez eu disse por aqui que temos de enfrentar o que odiamos. Em alguns momentos nos precisamos ser fortes e saber o que dizer, o que fazer e não deixar a preocupação e o medo nos dominar. Eu construí esse lema pra mim e tenho tentado, mesmo que o pior ainda não esteja aqui, a manter-lo vivo em minha mente e tentar seguir como acho que deve ser.
Porém, certos momentos, na loucura da rotina, eu paro e uma vontade de chorar me domina de uma forma que não sei explicar. Olhar um ponto fixo, parar de pensar e sentir o choro sobrevir... O aperto no peito é mais do que real. Engraçado que, enquanto o choro vem, todos os pensamentos e problemas se destacam em minha mente e eu sinto que aqui não é meu lugar... Eu sinto.. Eu sei que algumas coisas precisam mudar.
Faz mal conter o choro, mas eu tento, de todo jeito. Assim como tento encolher os pensamentos e nada dá certo. Sabe... Eu consigo me remontar e permanecer algum tempo... Mas a vontade vem e é mais do que difícil controlar. Tem horas que simplesmente não dá.
Então, como agora, eu paro e penso no que isso pode ser. Encontro meus motivos egoístas, minhas dores contidas, as paixões nunca encontradas... São tantas coisas que encontro nas reflexões. Tantas coisas. Eu realmente queria expor aos outros, mas eu travo e nada sai daqui de dentro... Como se nada existisse.
Eu choro sozinha / Eu penso sozinha / Eu sofro sozinha.
Eu sempre me considerei uma pessoa extremamente contida em frente aos outros e hoje não sei como destruir essa imagem. Sei que algumas pessoas já me veem assim.. Já agem como se isso fosse o melhor (ou o pior) de mim . Dia desses cheguei a ouvir que tinha um "coração de gelo" e me senti extremamente desconfortável ao ouvir isso. A pessoa brincou, dizendo-me que era uma brincadeira... Mas é como dizem... Brincadeiras têm fundos de verdade. O meu modo de reagir se construiu assim e todas as pessoas ao meu redor não percebem absolutamente nada e eu não sei como fazer para que elas percebam. É estranho pensar e sentir de uma forma e agir de outra completamente diferente. É como se fossem duas pessoas morando aqui dentro.. E combatendo-se o tempo inteiro.
Eu queria soltar.. Eu queria me libertar.. Eu queria viver mais como penso em viver.. Mesmo que esteja tão cheia de incertezas aqui dentro, mas o modo como estou agora não me faz bem e só me faz temer e querer chorar. São tantos "querias...". Parece tudo bem para quem vê de fora, mas os caquinhos estão aqui dentro, perfurando-me e matando-me de pouquinho em pouquinho. O mais angustiante de tudo isso é que eu consigo enxergar o problema... Mas não enxergo... Não vislumbro a saída. Envolve família, amigos, futuro e expectativas. Eu só permaneço no "queria."
Esses dias a escrita tem me ajudado a reter algumas coisas... Mas é como eu disse, os momentos de súbito choro vêm e são mais fortes do que eu consigo segurar.
Sao forças opostas... Minha luta diária..
G.MOON 

Runway, Houses, City, Clouds



"Eu sei que algumas coisas
Tem que mudar."

G.MOON

Chamam meu nome?

Entendo aquele olhar Chamam meu nome lá fora? Entendo aquele toque Chamam meu nome lá fora? Não há futuro para mim aqui dentro Não...